Entre em Contato   Início   Onde Estamos?  
Pensando Saúde no Facebook Pensando Saúde no Twitter Pensando Saúde no Linkedin Pensando Saúde no Youtube Pensando Saúde no Google+
 

 

Os estalos normais e naturais e também os provocados com frequência ocorrem em certas articulações do corpo.

 

Esses ruídos atingem na verdade, os pontos de encontro entre dois ossos que conhecemos como articulação, que por sua vez são mantidos presos por tecidos como cápsulas, ligamentos, cartilagens e tendões.

 

Afinal o que sabemos sobre os benefícios e malefícios desse comportamento ruidoso que ocorre nas articulações do corpo?

Estalar as articulações faz mal?

 

Estalar os dedos, ombros, pé, tornozelos e o pescoço são hábitos comuns e promovem alívio para muitas pessoas. O ato de estalar não faz mal, quando ocorre ocasionalmente ou espontaneamente, mas quando repetido com freqüência e com força na articulação estressam consideravelmente os tendões, cápsulas, cartilagens e ligamentos.

 

Estalar com freqüência a articulação aumenta a produção de líquidos internos, que pode levar ao engrossamento, lesão, dor e diminuição do movimento articular.

 

O estresse contínuo nos músculos e articulações pode acelerar as manifestações degenerativas normais e naturais que ocorrem nessa região. Se você sente a necessidade de estalar verifique se ela é motivada pelo desconforto ou dor, manifestação característica de uma disfunção que ocorre nas articulações.

 

O motivo oculto que provoca alívio na articulação após o estalo

 

Muitas vezes os estalos provocados ocorrem na tentativa de aliviar algo que esteja bloqueado e provocando algum estresse, desconforto e dor nos músculos e articulações. O que se quer saber é se essas repetições diárias e por anos podem comprometer a saúde das articulações, bem como, se existe risco de provocar incapacidade funcional e dolorosa futuramente nos músculos e articulações.

 

O que dizem os estudos sobre o ato de estalar

 

- Em 1988, Mierau et al (Mierau D, Cassidy JD, Bowen V, Dupuis P, Noftall F. Manipulation and mobilization of the third metacarpophalangeal joint: a quantitative radiographic and range of motion study. Manual Med 1988; 3:135-40.) descobriram que as articulações após o estalo apresentavam uma escala significativamente maior de movimento. Isso indica que o fenômeno sonoro é associado a pelo menos um aumento temporário na amplitude de movimento de uma articulação.

 

- O trabalho de Haines e Roston ficou esquecido por 25 anos, até que em 1972, Unsworth e colaboradores, publicaram um trabalho sobre os gases no interior da articulação após o estalo audível (Unsworth A, Dowson D, Wright V. Cracking joints: a bioengineering study of cavitation in the metacarpophalangeal joint. Ann Rheum Dis 1972; 30:348-58). Assim como Haines e Roston, eles também observaram que o grau de afastamento articular também aumentava muito após o estalo. Eles verificaram que antes do estalo, o espaço intra-articular era de 0,98 mm, e que imediatamente após o crack o espaço articular aumentava para 2,50 mm. Cinco minutos mais tarde, o espaço intra-articular era de 1,40 mm; e 15 minutos depois, o espaço havia retornado à distância de 0,98 mm.

 

- Quanto aos danos associados a esse hábito, segundo Anatomy and Physiology Instructors' Cooperative (Cooperativa dos Professores de Anatomia e Fisiologia), foi realizado um único estudo aprofundado sobre os possíveis malefícios de se estalar os ossos. Esse estudo, realizado por Raymond Brodeur e publicado no Journal of Manipulative and Physiological Therapeutics, examinou 300 pessoas, que tinham o hábito de estalar os nós, em busca de evidências de lesões nas articulações.

 

Os resultados revelaram não existir ligação aparente entre o estalo de articulações e a artrite, entretanto, pessoas que têm o hábito de estalar os dedos apresentaram sinais de outros tipos de danos, incluindo lesão nos tecidos moles e até da cápsula articular, além de diminuição da força. Essa lesão provavelmente resulta do alongamento rápido e repetido dos ligamentos que circundam a articulação.

 

Estalar as articulações pode não fazer bem.

 

Reflexão sofre o ato voluntário de estalar as articulações

 

A princípio, todas as articulações do corpo podem ser estaladas, e esse comportamento pode provocar danos nos tendões, cartilagem e cápsula que recobre a extremidade dos ossos.

 

Afinal, existe uma motivação ou desejo para promover um estalo na articulação?

 

- Os estalos provocam muitas vezes um alívio na articulação e no corpo, e o desconforto, tensão e a pressão na articulação podem ser os motivadores do ato de estalar?

 

- Os estalos expõem uma disfunção na articulação provocada por tensão que necessite ser investigado?

 

- Os desgastes provocados nas articulações dos dedos geralmente estão vinculados à idade avançada ou a fatores hereditários?

 

- Estalar as articulações faz bem, faz mal ou tanto faz?

 

- Os estalos predispõem as articulações a desgastes futuros e estas por sua vez a artrose precoce?

 

- Seria o achatamento provocado na articulação pela posição ou movimentos provocados na articulação no dia a dia responsável pelo ato do estalar?

 

- O alívio após o ato de estalar seria o motivo de tantas repetições tornando um hábito rotineiro?

 

O bom senso pede ajuda especializada

 

Provocar estalos nas articulações com freqüência pode levar ou não a conseqüências futuras que por enquanto o bom senso mostra que não vale à pena tentar comprovar isso na prática.

 

Nos casos onde a necessidade do estalo é estimulada pela vontade de sentir um alívio, é importante procurar um fisioterapeuta para identificar a origem do problema. Essa condição em especial, pode ser o resultado de uma lesão promovida na articulação, que está causando os estalos e desconfortos frequentes, e que precisa ser corrigido.

 

O ato de estalar espontaneamente pode estar escondendo uma disfunção musculoesquelética, que poderá provocar dores no futuro.

 

Uma disfunção musculoesquelética se caracteriza pela perda da funcionalidade normal (movimento normal) dos músculos e articulações, podendo essa região, ser dolorosa ou não.  Essa condição pode estar por trás dos estalos. Sendo assim, alguém que estala as articulações, pode estar escondendo uma disfunção musculoesquelética, predispondo a região, a uma lesão com dores no futuro.

 

É importante identificar o que está por trás desses estalos, prevenindo assim, complicações no futuro.
 

Dr. Abnel Alecrim, Fisioterapeuta, Especialista em Reabilitação Musculoesquelética e Esporte, Campinas, SP, Brasil.

 


Fique livre das dores musculoesqueléticas. Faça a Fisioterapia Avançada.




Deixe seu recado:
Seja bem-vindo!
Acesse sua conta, aqui.


Cadastre-se e receba nossos informativos

 

Curta e Interaja

 

 

Entrevista na Rádio CBN
Entrevistas na Rádio CBN - Dr. Abnel Alecrim

Tudo sobre Hérnia de Disco

Má postura das Crianças

 

 

Veja Nossos Artigos
fisioterapeuta, campinas, rpg, metodo mckenzie, tratamentor, dor no quadril

- Hérnia de Disco
- Dor na Coluna
- Dor no Pescoço
- Você não tem que viver com Bruxismo
- Esporão de Calcâneo
- Dor no Joelho

 

 

Veja as Perguntas e Respostas
fisioterapeuta, campinas, rpg, metodo mckenzie, tratamentor, dor no quadril

- Discopatia Degenerativa

- Hérnia de Disco
- Hérnia de Disco Extrusa

- Dor nas Costas
- Escoliose

  

 

Loca lização

fisioterapeuta, campinas, rpg, metodo mckenzie, tratamentor, dor no quadril

Av. Dr. Heitor Penteado, 428,

Taquaral Campinas, SP

Mapa de Localização

 

 

Entre em Contato
(19) 3308-6330

(19) 3212-1140

Segunda à Sexta 
das 8h às 18h.



Solicitação de
Agendamento

Nome:
E-mail:
DDD + Telefone:
Cidade:
Horário Desejado:
Dia da Semana:
Sintomas:
 

19 3308-6330
19 3212-1140

Campinas/SP

Pensando Saúde - Dr. Abnel® 2012 - 2017 - Desenvolvido por Dinamicsite